terça-feira, 10 de março de 2009

Resumo - Revisitando o conceito de resumos, de Anna Rachel Machado

Aluno: Thiago Martins Lopes de Faria

Comunicação Social 1º período

Resumo Revisitando o conceito de resumos, de Anna Rachel Machado

Oficina de texto A

 

Introdução

 

Recentemente, os cientistas preocuparam-se com a produção de resumos sendo essenciais na compreensão da leitura.

  Atualmente o interesse por estudos na área diminuiu, mas o assunto continua sendo necessário no desenvolvimento do conhecimento. O objetivo do capítulo é retomar posições da lingüística textual nos resumos, buscando novas perspectivas com a noção Bakutiniana de gênero.

  Sendo necessário a distinção entre sumarização no desenvolvimento na leitura e textos produzidos como resumos; examinação da confusão terminológica e analise do contexto de produção.

   Os objetivos serão alcançados com os pressupostos teóricos, noção de gênero e resumo das regras.

 

  1. Pressupostos teóricos

 

 Com Bronckart, assumimos a noção Bakhtiniana de gênero do discurso, a teoria diz que no decorrer das atividades humanas, elaboramos “tipos relativamente estáveis de enunciados”. Segundo Bakhtin, sempre nos comunicamos com base em gênero e sem eles seria difícil a comunicação humana. Para Skhnenwly os gêneros são verdadeiras ferramentas semióticas que permite a produção e a compreensão de textos.

         Portanto os estudos devem concentrar-se nos gêneros. O primeiro passo seria a identificação dos gêneros de nossa sociedade. O problema é que na maioria das vezes não é sistemática e homogênea a nomeação o que torna difícil à identificação.

        Ainda têm mais outros fatores dificultam a identificação de gêneros como a relação entre os gêneros e os textos que os materializam e o contexto da produção.

        Nos trabalhos de Van Dijk e de Spreger-Charolles o processo de sumarização, ocorreria por meia de um resumo mental do leitor que retém as informações básicas e elimina as acessórias, chegando a significação básica do texto.

       Esse processo tem diferentes regras que depende dos tipos de textos. Com isso chegou-se, a dois conjuntos de regras: de apagamento e de substituição. As primeiras o leitor por um processo de seleção apagaria as informações que para ele é desnecessária ou redundante. Já as regras de substituição são o processo pelo qual o leitor engloba as informações expressas ou pressupostas no texto. Essas regras ainda podem ser dividas em dois tipos: as de generalização e as de construção.

  Todas essas regras podem ser aplicadas para um grau maior de sumarização ou menos. Essa aplicação é feita pelo esquema superestrutural típico de cada texto. E esta condicionada ao objetivo da leitura, ao conjunto de conhecimentos prévios e ao tipo de situação.

    A nosso ver, a base na noção de gênero pode e deve ser feita para uma melhor compreensão tanto na sumarização quanto da produção de resumos.

 

  1. Os resumos na mídia impressa e digital

 Com uma leitura da revista VEJA, logo se percebe que os textos pertencem a diferentes gêneros.

 Ao examinar a VEJA ao primeiro momento pensa-se que não há nenhum gênero resumo. Verificando um pouco mais aparecem matérias com o titulo de resenha. Entretanto, como resenhas, trazem uma simples apresentação de outros textos. Portanto não se trata de um possível gênero resumo, mas de uma parte do gênero resenha.

  Na seção “Veja recomenda”, aparecem duas pequenas matérias sobre livros. Esses dois textos tanto pertencem ao gênero resenha quanto ao resumo.

 Em outras seções surgem trechos com resumos de livros ou artigos, implícitos ou explicitamente.

    Na seção “para usar” que, à primeira vista, não aparenta encontrarmos resumos com autonomia, e nela, que encontrar-se. Com quatro pequenos textos, independentes. Leves e chamando a atenção do leitor, eles sumarizam textos sobre as pesquisas cientificas.

    Assim, temos o resumo de texto que tem o objetivo informativo mais geral dos gêneros jornalísticos , a informação. 

    O meio digital contém as mais diferentes atividades da sociedade, com uma pesquisa sobre resumos podemos ter uma boa idéia de como esta sendo usado este gênero.

    Visitando as páginas que contém resumos percebemos que há uma confusão terminológica, o que já foi verificado nos pressupostos teóricos. Uma segunda constatação é que, há uma quantidade de textos que pertencem a diferente gêneros.

 

  1. Conclusões

 

A análise dos dados apresentados, levam a conclusão que:

 

A sumarização é fundamental para a produção de textos de diferentes gêneros;

Nesse gêneros, o resumo pode ser parcial ou integral que vai depender da finalidade dos textos produzidos; A produção do resumo depende do contexto de produção do texto; Exemplares do gênero resumo reproduz o texto original, com o objetivo de informar o leitor de forma concisa e geral; Os resumos estão sujeitos a grande variações que esta relacionado ao seu contexto de produção; O resumo esta organizado de acordo com o gênero que ele pertence.                                                                                                                                             

Com essa conclusão, percebe-se a diferença entre a sumarização durante a leitura e a produção de diferentes gêneros.Conclui-se que o resumo deve ser visto como o ensino de um gênero.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário